Mestrado e doutoramento

Inscrições para bolsas arrancam na 5.ª feira

As inscrições para candidatos às bolsas de mestrado e doutoramento em melhores universidades do mundo têm início na próxima quinta-feira (1) e terminam a 15 de Agosto.

Inscrições para bolsas arrancam na 5.ª feira
D.R.
Maria Bragança Sambo

Maria Bragança Samboministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação

A selecção será assegurado por um júri nacional, com várias fases consecutivas e eliminatórias, como a realização de analises documental, testes de conhecimento, entrevista centrada nas competências, selecção pela instituição de ensino superior estrangeira, dentre outras.

Os estudantes poderão inscrever-se às bolsas, inseridas no programa de envio anual de 300 licenciados/mestres com elevado desempenho e mérito académico para melhores universidades do mundo, no portal do Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo (Inagbe).

O programa escolheu universidades dos ‘rankings’ da ‘Times Higher Education Rankings’, ‘QS World University Rankings’ e ‘ARWU-Shangai Ranking’, localizadas na África do Sul, Argentina, Austrália, Alemanha, Bélgica, Brasil, Canadá, Chile, China, Coreia do Sul, Dinamarca, Espanha, EUA, França, Holanda, Itália, Japão, Noruega, Polónia, Portugal, Reino Unido, Roménia, Rússia, Singapura, Suíça e Ucrânia.

O programa vai priorizar a saúde, engenharia, tecnologia, ciências agrárias, sociais e humanas, sendo que o processo estabelece 16 valores como média mínima para o acesso e até 30 anos de idade para o mestrado e 35 anos para o doutoramento.

Para esta fase, estão disponíveis 60 vagas para ciências médicas, 150 para mestrado e 90 para o doutoramento.

As candidaturas estão abertas também para cidadãos nacionais com visto de estudante e até dois anos de permanência no país de formação, aceites ou a frequentar um curso de pós-graduação (1.º ano de mestrado ou 1.º e 2.º de doutoramento), numa universidade colocada no ‘ranking’ das melhores do mundo em 2018.

Em conferência de imprensa, a ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (Mescti), Maria Bragança Sambo, avançou que o Executivo investirá no programa cerca de 50 milhões de dólares para o envio anual de 300 estudantes.

Adiantou que a selecção será assegurado por um júri nacional, com várias  fases consecutivas e eliminatórias, como a realização de analises documental, testes de conhecimento, entrevista centrada nas competências, selecção pela instituição de ensino superior estrangeira, dentre outras.

Maria Bragança Sambo destacou como uma das condições requeridas aos candidatos a assinatura de uma declaração de compromisso de regresso ao país e a disponibilidade do estudante servir, quer no sector público ou privado e em qualquer província.

Outros artigos do autor