Por alegado “fracasso” do projecto político

Secretário da CASA em Benguela deixa coligação

Secretário da CASA em Benguela deixa coligação
DR
Bandeira da CASA-CE

O secretário provincial da CASA-CE, Francisco Vilhena, anunciou, esta quarta-feira, o seu abandono da Convergência Ampla de Salvação de Angola-Coligação Eleitoral (CASA-CE), por alegado "fracasso" daquele projecto político.

Em conferência de imprensa, o então responsável da terceira força política do país em Benguela prometeu dedicar-se, por enquanto, à advocacia e às actividades empresariais.

Segundo o político, aquando da sua constituição, em 2012, "a CASA-CE tinha todas as condições para ser um instrumento viável para realizar o país e os angolanos".
 
Entretanto, sustentou, hoje não tem as mesmas condições, porque "passou a ser dominada pelos interesses privados dos partidos políticos coligados, em detrimento do panorama político nacional".

"Nós, os independentes, e particularmente eu, estamos defraudados. Não posso pactuar com essa situação, porque estou na política para servir o país e os angolanos", referiu.

A Coligação, liderada por Abel Chivukuvuku, foi a terceira força política mais votadas nas eleições de 2017, tendo conquistado 16 lugares no Parlamento.
Francisco Vilhena dirigiu a campanha eleitoral da coligação em 2017, em que não conseguiu assento parlamentar, nos cinco lugares disponíveis para Benguela.
 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS