Estados Unidos da América

Encontrados mais de 2 mil fetos em casa de médico

A polícia do condado de Will, no estado de Illinois, Estados Unidos, encontrou 2.246 restos fetais medicamente preservados na casa do Dr. Ulrich Klopfer, que se dedicava a fazer abortos e morreu em 3 de Setembro deste ano.

Encontrados mais de 2 mil fetos em casa de médico
D.R.

Ulrick Klopfer era conhecido por fazer abortos ao longo da carreira de 43 anos e dizia que nunca havia perdido uma paciente. A sua licença médica foi caçada em 2016.

Klopfer praticava abortos na localidade de South Bend, no estado de Indiana, mas se mudou para o condado de Will depois que sua licença médica foi suspensa em 2015, após uma série de faltas médicas graves.

Após o falecimento, a 3 deste mês, a família foi à casa do médico para recolher os pertences e encontrou 2.246 restos fetais, uma descoberta confirmada pela polícia local que indicou que "não há evidências médicas de que procedimentos médicos tenham sido realizados no local".

Actualmente, a família colabora com as investigações realizadas pela polícia sobre os restos fetais.

A esse respeito, diz o site de notícias WNDU, a congressista republicana Jacki Walorski comentou que "toda vida humana é preciosa e toda mulher e bebê merecem cuidado e respeito".

“Este caso trágico mostra por que aqueles que realizam abortos devem seguir directrizes rígidas e ser muito vigiados. Vou propor uma legislação federal para garantir que os restos de bebês abortados sejam tratados com dignidade, incluindo casos de aborto químico”, acrescentou.

A plataforma pró-vida ‘Live Action’, indicou que o caso lembra o que "os investigadores encontraram quando invadiram o centro de aborto do agora preso Kermit Gosnell, que tinha restos de corpos de fetos envasados no local"; algo semelhante ao que também fazia o abortista Michael Roth.

“Em outras palavras, Klopfer não é o único abortista com a tendência doentia de coleccionar partes de suas vítimas. Esse tipo de comportamento é mais semelhante ao dos assassinos em série do que dos profissionais médicos”, lamentou.

‘Live Action’ também assinalou que Klopfer é conhecido por "não denunciar abortos abaixo da idade permitida, não denunciar abusos, não manter registos médicos adequados e não ter padrões de saúde e segurança adequados na sua prática e outras coisas".

Através da conta no Twitter, a líder pró-vida Abby Johnson, cuja história de conversão após dirigir uma clínica de aborto é contada no filme Unplanned, também se referiu ao caso.

“Este médico abortista morreu recentemente. E vejam o que encontraram. O mal sempre esconde segredos e não há nada pior que o aborto”, escreveu.

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS