Para impedir a duplicação de dados

Jornalistas serão cadastrados online

O processo de cadastramento dos jornalistas na Comissão da Carteira e Ética vai contar com o apoio dos sindicatos, associações e plataformas digitais, através de website, para impedir a duplicação de dados e facilitar o processo.

Jornalistas serão cadastrados online
D.R
Membros da da Comissão de Carteira e Ética de Jornalistas

Doravante só poderá exercer a actividade jornalística quem tiver a carteira jornalística e quem tiver uma formação técnica ou superior em jornalismo ou equivalente e não deve ser inferior de um ano.

A informação foi avançada esta quinta-feira, em Luanda, pela presidente da comissão, Luísa Rogério, durante uma conferência de imprensa que teve como objectivo apresentar a composição da Comissão de Carteira e Ética, que vai regular o exercício da actividade jornalística.

Segundo a responsável, o processo, que já vai atrasado, está a ser estudado e elaborado com todo o rigor, com a verificação dos modelos de carteira e os valores a serem cobrados.

Já o coordenador do Conselho da Carteira, Africano Neto, explicou que os jornalistas que apresentarem incompatibilidade, com destaque para os que trabalham como assessores de imprensa e os que optarem pela publicidade, não terão direito a carteira.

“Sabemos que existe uma lei que regula o exercício da actividade jornalística. Não poderão ter a carteira agentes angariadores de publicidades e outros trabalhos afins e também aqueles que têm cargos de assessoria de imprensa numa entidade pública ou privada”, disse.

A Comissão da Carteira e Ética conhece bem os alvos, prosseguiu o coordenador, e os profissionais que devem beneficiar deste documento, para além dos jornalistas, haverá também a carteira para os estagiários.

Africano Neto explicou que a questão para os jornalistas estrangeiros está a ser analisada para o exercício das suas actividades dentro do território angolano, para isso, também serão obrigados a provarem que são realmente jornalistas e apresentar a carteira passada pela Comissão da Carteira e Ética.

Por sua vez, a coordenadora do Conselho de Ética, Maria de Lurdes, explicou que a Comissão da Carteira vai trabalhar com o jornalista e funcionar dentro da lei, nada será arbítrio.

Será criado um correio electrónico aonde se vai recepcionar todas as denúncias e se preparar os processos disciplinares.

Doravante só poderá exercer a actividade jornalística quem tiver a carteira jornalística e quem tiver uma formação técnica ou superior em jornalismo ou equivalente e não deve ser inferior de um ano.

A Comissão da Carteira e Ética foi eleita sábado (26) durante a Assembleia Geral dos Jornalistas, que aprovou igualmente o Código de Ética e Deontologia Profissional.

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS