No Huambo

IDF prepara 30 mil árvores para presente época florestal

Cerca de 30 mil árvores de espécies diversas estão disponíveis nos viveiros do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF), no Huambo, para serem plantadas na presente época florestal, mais seis 6.620 em relação ao período anterior.

IDF prepara 30 mil árvores para presente época florestal
D.R

Ao confirmar a informação à ANGOP, o responsável interino desta instituição no Huambo, Antunes Justino, explicou que das árvores a serem plantadas, no âmbito das acções de repovoamento florestal do planalto central, constam eucalipto, pinheiro, cedro e casuarinas.

De acordo com o responsável, apesar de toda a província nesta altura ter uma grande necessidade de repovoamento florestal, as árvores deverão ser plantadas, essencialmente, nos arredores da cidade do Huambo, sede da província com o mesmo nome, concretamente nos bairros do Sassonde I e II, Chiva e Sacaála.

Justificou tratar-se de localidades com necessidades imensas de plantação de árvores, principalmente, os bairros periféricos Sassonde I e II, que contêm uma ravina que pode, caso não seja acautelada, estender-se para a pista do Aeroporto Albano Machado, além de ameaçar "engolir" residências.

Com vista a pôr cobro a esta situação, o responsável fez saber que nesta altura já se encontram plantadas, entre o Aeroporto Albano Machado e os bairros de Sassonde, cinco mil árvores de eucalipto, sendo que dos 11 hectares existentes, faltam apenas cinco.

Antunes Justino explicou ainda que para a materialização das acções de reflorestação a instituição conta, além do governo da província do Huambo e do Ministério da Agricultura e Floresta, com o suporte de organizações políticas e da sociedade cível, que nesta altura já solicitaram 15 mil plantas para o arranque desta época florestal.

Por outra, o responsável disse que a falta de transporte e de quadros, com realce para área de fiscalização, como uma das principais dificuldades do Instituto de Desenvolvimento Florestal no Huambo, que, apesar das dificuldades, está optimista no melhoramento do actual quadro, que é do conhecimento das entidades de direito.

Por outro lado, Antunes Justino que agradeceu o apoio da Polícia Nacional na fiscalização dos produtos de origem florestal, incentivou a população para a cultura de denúncia das acções que lesam o ambiente e, ao mesmo tempo, contribuírem no processo de repovoamento florestal para a promoção do bem-estar comum.

Actualmente, o departamento provincial do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) no Huambo controla oito fiscais, na sua maioria em idade de reforma, que asseguram a fiscalização de uma extensão territorial de 35 mil e 771 quilómetros quadrados, ocupados por dois milhões, 519 mil e 309 habitantes, distribuídos em 11 municípios.