Segundo um estudo

Vinho tinto tem substância que ajuda a reduzir stress

Pesquisadores da Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos, afirmam que o composto resveratrol, presente na uva, tem efeito relaxante. Se separado do álcool, o composto poderia ser adoptado em tratamentos contra a depressão.

Vinho tinto tem substância que ajuda a reduzir stress
D.R.

Os cientistas afirmam que o resveratrol ajuda a bloquear a manifestação de uma enzima ligada ao controlo do stress e da ansiedade no cérebro.

O efeito relaxante de uma taça de vinho ao fim de um dia difícil não se deve somente ao álcool presente na bebida. Segundo pesquisadores da Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos, o componente ‘resveratrol’, presente em sementes e cascas de uva escura, e também no vinho tinto, possui efeitos anti-stress. Separada do álcool presente no vinho, a substância poderia ser usada em tratamentos médicos contra a depressão.

Num artigo publicado na revista científica ‘Neuropharmacology’, os cientistas afirmam que o resveratrol ajuda a bloquear a manifestação de uma enzima ligada ao controlo do stress e da ansiedade no cérebro. A relação entre o componente e essa enzima, a ‘phosphodiesterase 4’ (PDE4), ainda era desconhecida. Essa enzima é influenciada pelo harmónio do stress, a corticosterona.

O estudo, divulgado na passada semana, analisa como o resveratrol impacta os processos neurológicos. A pesquisa é liderada por Xiaoxing Yin, professora na universidade médica de Xuzhou, na China.

De acordo com uma das autoras do estudo, Ying Xu, "o resveratrol pode ser uma alternativa efectiva a medicamentos usados para tratar pacientes que sofrem de desordens ligadas à depressão e à ansiedade". O composto também está presente em outras frutas vermelhas.

Xu explica, em comunicado, que os antidepressivos atuais tendem a se concentrar no controle das funções dos hormônios serotonina e noradrenalina no cérebro. Porém, somente um terço dos pacientes com depressão conseguem normalizar suas funções neurológicas, em resposta aos medicamentos.

Como o resveratrol é capaz de inibir a expressão da enzima PDE4, poderia ser estudado e aplicado como alternativa.

Porém, como o consumo de álcool é altamente nocivo a pacientes com depressão, podendo levar à dependência química, o resveratrol precisaria ser sintetizado e administrado separadamente.

Outros artigos do autor

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS