No Kuando-Kubango, Cunene, Huíla e Namibe

UNICEF apoia o combate à desnutrição

A UNICEF disponibilizou mais 9.600 caixas de suplementos nutricionais destinadas ao Kuando-Kubango, Cunene, Huíla e Namibe para apoiar as intervenções de resposta nutricional resultantes de períodos de secas cíclicas no Sul do país.

UNICEF apoia o combate à desnutrição
D.R

Os suplementos nutricionais diversos vão servir para reforçar os programas provinciais de combate à desnutrição e as actividades que têm sido desenvolvidas pelos Governos locais, particularmente neste período de resposta à pandemia da covid-19, beneficiando mais de 10 mil crianças menores de 5 anos.

Segundo uma nota de imprensa a instituição enviada ao NG, o  UNICEF está a apoiar o Governo de Angola, em particular os Governos Provinciais no Sul do país, no desenvolvimento de pacotes de actividades de resposta à emergência que incidem nos sectores de saúde e nutrição, água, saneamento e higiene, protecção da criança, mudança de comportamento e envolvimento comunitário.

Conforme a organização internacional, estas actividades assentam numa estratégia mais ampla para estabelecer a ligação da resposta as emergências com uma agenda de desenvolvimento social local.

Indica que Janeiro a Junho foram capacitados mais de 300 técnicos de saúde para fornecer serviços de despistagem e tratamento da desnutrição aguda e prestar aconselhamento sobre práticas de alimentação infantil e suplementação com micronutrientes para os pais e encarregados de crianças pequenas.

Em 2019, com fundos da Central das Nações Unidas para as Emergências (CERF), o apoio do UNICEF e das ongs Visão Mundial, Acção para o Desenvolvimento Rural (ADRA) e People In Need contribuiu despistar, para a desnutrição, 232 mil crianças menores de cinco anos, por meio da intervenção de mais de mil agentes comunitários e técnicos de saúde capacitados no Cunene, Huíla, Bié e Namibe.

Do número de crianças diagnosticadas mais de 23 mil  foram tratadas para a desnutrição aguda moderada e cerca de 7.800 crianças tratadas para a desnutrição aguda grave, em 28 Unidades Especiais de Nutrição e 210 Unidades Sanitárias com programas de tratamento ambulatória equipadas com suprimentos nutricionais e materiais de diagnóstico.

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS