De 14 para oito anos

Tribunal Supremo reduz pena de Augusto Tomás

Os juízes do Tribunal Supremo decidiram reduzir a pena do ex-ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, de 14 para oito anos e quatro meses de prisão maior.

Tribunal Supremo reduz pena de Augusto Tomás
D.R

A Augusto Tomás pesou ainda o facto de os juízes considerarem os serviços relevantes prestados à pátria e à sociedade.

Augusto Tomás foi julgado e condenado pelo Tribunal Supremo, acusado de crimes de peculato, violação das normas de execução do plano e orçamento, sob forma continuada, e por participação económica em negócio.

Segundo a edição desta quarta-feira do Jornal de Angola, os juízes do Tribunal Supremo decidiram recorrer à atenuação extraordinária das penas e  reduziram as penas de prisão a que foram condenados os réus do ´Caso CNC’.

Apesar de julgarem improcedentes os recursos interpostos pelos réus Augusto da Silva Tomás, Isabel de Ceita Bragança, Rui Manuel Moita e Manuel António Paulo, os juízes do Supremo tiveram em consideração, entre outros aspectos, a falta de antecedentes criminais para todos os réus.

A Augusto Tomás pesou ainda o facto de os juízes considerarem os serviços relevantes prestados à pátria e à sociedade.

O tribunal reduziu de 10 para cinco anos a pena de Manuel António Paulo, a de Isabel  Bragança, de 12 para seis anos, e de a Manuel Moita, de 10 para cinco anos, enquanto Eurico Pereira da Silva mantém os dois anos de pena suspensa.

 Todos estes réus eram funcionários do Conselho Nacional de Carregadores.

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS