Por alegadas “suspeitas de irregularidades”

Tribunal adia eleições da UNAC

Tribunal adia  eleições da UNAC

O Tribunal Provincial de Luanda decidiu adiar, sem data e com efeito suspensivo, as eleições na União Nacional dos Artistas e Compositores - Sociedade de Autores (UNAC-SA), anteriormente previstas para a passada sexta-feira (17), devido a alegadas “irregularidades” denunciadas por Belmiro Carlos, candidato da lisa B.

O líder da lista B garante reunir “provas bastantes” de que o processo “não está a decorrer com a lisura, transparência e imparcialidade” requeridas, apontando mesmo alegadas irregularidades, sobretudo nos cadernos eleitorais em algumas províncias.

Segundo Belmiro Carlos, a sua lista apresentou um recurso ao tribunal pelo facto de “não obter respostas” ao pedido de impugnação do processo quer da parte comissão eleitoral, quer do Ministério da Cultura. “Verificámos ainda muitas irregularidades nos cadernos eleitorais de Luanda. Por isso, solicitámos uma averiguação conjunta do ficheiro dos artistas constantes dos cadernos eleitorais de Luanda”, explicou.

Para as eleições de novos corpos sociais da UNAC, também concorre, pela lista A, o músico e compositor Zeca Moreno, que lamentou o adiamento das eleições, acusando a lista B de ser “tão leviana” ao ponto de levar o assunto ao Tribunal de Luanda.

“Lamento que a lista B tenha sido tão leviana ao ponto de levar a tribunal um assunto que ela própria criou, porque o líder da lista B foi, durante anos a fio, secretário-geral da UNAC que, pelos vistos, agiu à margem dos estatutos”, queixa-se.

Zeca Moreno e os membros da sua lista aguardam que a comissão eleitoral e a comissão executiva da UNAC prestem os esclarecimentos de que o tribunal necessita, para que os assuntos colocados fiquem “devidamente esclarecidos”. 

António de Oliveira ‘Delon’, presidente da Comissão Eleitoral Nacional (CEN), esclareceu ao NG que o tribunal não deu como procedente a providência cautelar, mas sim “apenas um prazo de cinco dias para que a lista B forneça elementos probatórios das acusações que faz”.

Até ao fecho desta edição (20), as duas listas continuavam à espera da decisão do Tribunal.