Decorem trabalhos com parceiros

Propinas nas universidades públicas vão variar entre mil e dois mil kz

Os estudantes nas instituições de ensino superior públicas do período diurno vão mesmo, em breve, passar a pagar uma propina mensal, a semelhança dos que já acontece com os discentes do período pós-laboral.

Propinas nas universidades públicas vão variar entre mil e dois mil kz
Santos Samuesseca
Campus da UAN, em Luanda
Eugénio da Silva

Eugénio da SilvaSecretário de Estado para o Ensino Superior

Trata-se de um valor que não vai ultrapassar, anualmente, os 10.500 kwanzas até 21.100, a repartir, depois, por dez meses, que constituem o ano escolar, que dá um valor de 1.050 2.100 kwanzas por mês.

A diferença é que, ao invés dos 15 mil pagos mensalmente pelos estudades nocturnos, a propina dos diurnos deverá estar fixada entre os 1.050  e os 2.100 kwanzas por mês.

A aplicação desta medida no subsistema do Ensino Superior Público foi avançada esta quarta-feira (20) pelo secretário de Estado para o Ensino Superior, Eugénio da Silva, após a reunião da Comissão para a Política Social do Conselho de Ministros.

Em declarações à imprensa, o dirigente esclareceu que o que se pretende é que o valor da propina anual seja o equivalente a meio salário mínimo nacional obrigatório.

“Trata-se de um valor que não vai ultrapassar, anualmente, os 10.500 kwanzas até 21.100, a repartir, depois, por dez meses, que constituem o ano escolar, que dá um valor de 1.050 2.100 kwanzas por mês”, esclareceu.

Para já, de acordo com o secretário de Estado para o Ensino Superior, decorrem trabalhos  com parceiros, entre os quais as associações de estudantes do ensino superior, no sentido de se encontrar uma solução consensual.

Para Eugénio da Silva, os estudantes podem e devem comparticipar na produção do serviço educativo, na medida em que o custo por estudante, no ensino universitário, é muito superior ao valor da proposta em discussão.

POPULARES

ÚLTIMAS