Mais cedo em toda a série histórica

Planeta atingiu esgotamento de recursos naturais

O Planeta Terra atinge, esta segunda-feira (29), o ponto máximo de uso de recursos naturais que poderiam ser renovados sem peso ao meio ambiente. Em 2019, a humanidade atingiu a data limite três dias antes que em 2018, e mais cedo do que em toda a série histórica, medida desde 1970.

Planeta atingiu esgotamento de recursos naturais
D.R.

Para manter o mesmo padrão de consumo actual, seria necessário 1,75 planetas Terra.

Isso significa que, a partir de agora, todos os recursos usados para a sobrevivência (água, mineração, extracção de petróleo, consumo de animais, plantio de alimentos com esgotamento do solo, entre outros pontos) entrarão numa espécie de ‘crédito negativo’ para a humanidade.

Para manter o mesmo padrão de consumo actual, seria necessário 1,75 planetas Terra.

A estimativa é da Global Footprint Network, organização internacional pioneira em calcular a pegada ecológica, que contabiliza o quanto de recurso natural é usado para as necessidades de um indivíduo ou população. De acordo com a organização, actualmente 60 por cento da pegada ecológica da humanidade é devido à emissão de carbono.

"Sublinhar que não podemos usar 1,75 Terras por muito tempo quando só temos uma é simplesmente reconhecer o contexto da existência humana", disse Mathis Wackernagel, co-inventor da Pegada Ecológica e fundador da Global Footprint Network

O planeta entrou em deficit de recursos naturais em 1970. Desde então, a humanidade tem consumido mais do que o planeta consegue se regenerar. Nos últimos 20 anos, a data-limite têm chegado mais cedo.

"Os custos este excesso estão se tornando cada vez mais evidentes em todo o mundo, sob a forma de desflorestação, erosão dos solos, perda de biodiversidade e acumulação de dióxido de carbono na atmosfera, levando a alterações climáticas e a secas, incêndios e furacões cada vez mais graves", diz a organização.

Outros artigos do autor

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS