Por uso da canção ‘Happy’

Pharrel Williams vai processar Trump

Pharrel Williams vai processar Trump
DR
Pharrel Williams, músico

O músico norte-americano, Pharell Wiliams, ameaça processar Donald Trump por ter usado a sua canção ‘Happy’ no comício após os tiroteios de Pittsburgh, na Pensilvânia, no qual morreram 11 pessoas.

O advogado de Pharrell Williams, Howard King, fez um requerimento por carta para que o presidente Trump pare de utilizar a música ‘Happy', durante os seus eventos políticos — a canção em causa foi usada no comício que Donald Trump deu após o tiroteio na sinagoga de Pittsburgh, no dia em que 11 vidas ficaram nas mãos de um ‘nacionalista’ demente, você (Donad Trump) passou a canção ‘Happy’ para uma multidão num comício, no Indiana”, escreveu o advogado de Pharrell na carta, segundo a CNN.

“Não havia nada de ‘happy’ (feliz) nesta tragédia cometida no nosso país, no sábado passado, e não foi dada permissão para a canção ser usada em qualquer instância”, afirmou King, dizendo que o uso da canção sem consentimento pode resultar num processo de abuso de direitos de autor.

“O Pharrell não concedeu, nem vai conceder-lhe permissão para transmitir ou disseminar nenhuma das suas canções”, concluiu o advogado.

Esta não é a primeira vez que Donald Trump recebeu queixas de músicos descontentes, pelo uso de músicas sem permissão em comícios. Rolling Stones, Adele e os Queen já tinham feito protestos semelhantes.