Nova força desportiva lamenta falta de apoios

Paulo FC quer atingir o topo no Bengo

Criada em 2017 com escalão feminino e masculino, o clube participa pela primeira vez no campeonato da segunda divisão, dois anos depois do seu surgimento, mas não conseguiu apuramento para o Girabola deste ano. O proprietário, apesar das dificuldades, promete dar muitas alegrias no Bengo.

Paulo FC quer atingir o topo no Bengo
Santos Samuesseca
A criação do Paulo FC remonta à época do Gira Bairro.
Paulo Simão

Paulo SimãoProprietário do Paulo FC

Daqui a dois anos, queremos transformar o Paulo FC na principal força do futebol no Bengo e representar a província nas várias provas da Federação Angolana de Futebol.

O Paulo FC surge numa brincadeira de roda de amigos. Paulo Simão, proprietário do clube, conta que convidou os amigos a uma partida de futebol e, findo o jogo, resolveu dar continuidade. Foi assim que convidou crianças e adolescentes à prática da modalidade, com o objectivo de as afastar das más práticas.

A criação do Paulo FC, na verdade, remonta à época em que Simão participava do Gira Bairro, um torneio de futebol que visava a descoberta de novos talentos, também conhecida como ‘Taça do Presidente’.

Hoje, o clube movimenta mais de 100 crianças, dos sete aos 14 anos, divididas nos escalões de bambis, iniciados, juvenis, juniores e seniores, e são elas o garante para o sustento do escalão sénior.

Apesar das adversidades, também dispõe de um escalão feminino, do qual várias atletas até já foram convocadas para integrar a selecção sénior feminina, que vai participar na Taça Cosafa de 31 de Julho a 11 Agosto, na cidade sul-africana de Port Elizabeth.

DO PELADO À RELVA

Paulo FC quer atingir o topo no Bengo

Na fase de formação, o clube treinava num campo pelado no Panguila, mas, depois de uma solicitação, passou a gerir o campo relvado da Açucareira, no Bengo, onde pretende implementar o projecto de formação de jovens jogadores de futebol e melhorar o desempenho da equipa principal, que, pela primeira vez, participou no campeonato nacional da segunda divisão.

"Daqui a dois anos, queremos transformar o Paulo FC na principal força do futebol no Bengo e representar a província nas várias provas da Federação Angolana de Futebol (Faf)", almeja o dirigente.

Devido à degradação de algumas infra-estruturas, como os balneários e a própria relva, o espaço está a ser reabilitado.

O campo, que pertenceu à Companhia de Açúcar de Angola (Açunor) e que, em 2008, estava sob a gestão do Grupo Desportivo Kafanda, tem capacidade para mil espectadores. Certificado pela Faf, a infra-estrutura foi o primeiro campo relvado do Bengo, que partilha jogos com o Estádio Municipal do Dande.

DIFICULDADES FINANCEIRAS

Paulo FC quer atingir o topo no Bengo

Apesar das dificuldades financeiras, o amor pela modalidade falou mais alto e, para ultrapassar alguns constrangimentos, conta com o apoio de amigos. Por exemplo, recentemente recebeu, do agente Fifa João Julião, ofertas de equipamentos desportivos, como calções de treinos e de jogos oficiais, mochilas e chapéus.

Sem receber qualquer contrapartida financeira, Paulo Simão não aceita revelar quanto gasta por época para manter os meninos e meninas na carreira desportiva e apela à Federação Angolana de Futebol a não preocupar-se apenas com a primeira divisão, mas também com a segunda e com outros escalões.

Por falta de dinheiro, as equipas técnicas e os atletas do escalão sénior não recebem salários, mas apenas alguns subsídios para colmatar as dificuldades de transporte.

Para garantir a continuidade, a direcção está negociar com agente Fifa João Julião para presidir à agremiação.

Em declarações ao NG, o agente, que se encontra radicado na Suíça, confirma o ‘namoro’ com o Paulo FC, mas ainda não respondeu ao convite, remetendo um pronunciamento para os próximos tempos.

A equipa sénior masculina foi campeã provincial, o que garantiu a participação no campeonato da segunda divisão.

Outros artigos do autor

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS