Para o combate a seca no sul

ONU disponibiliza mais 
de seis milhões de dólares

O Fundo Central de Resposta a Situação de Emergência (CERF) das Nações Unidas disponibilizou, esta semana, mais de seis milhões de dólares para ajudar no programa do Governo de combate à seca. O dinheiro vai ser aplicado em projectos no Cunene, Huíla, Bié e Namibe e pretende beneficiar cerca de 565 mil pessoas.

ONU disponibiliza mais 
de seis milhões de dólares

As Nações Unidas anunciaram, na passada terça-feira, que através do Fundo Central de Resposta a Situações de Emergência (CERF, sigla em inglês), vão disponibilizar mais de 6,4 milhões de dólares para apoiar as comunidades que sofrem com a seca no sul de Angola. Os fundos serão aplicados em projectos no Cunene, Huíla, Bié e Namibe e vão beneficiar cerca de 565 mil pessoas.

O Coordenador Residente das Nações Unidas em Angola, Paolo Balladelli, está desde ontem, quarta-feira, em missão oficial para o sul do país, onde reunirá com as autoridades provinciais e parceiros do Cunene e da Huíla.

A Organização da Nações Unidas (ONU) estima que, para fazer frente à situação de emergência que atinge o país, são necessários cerca de 92 milhões de dólares e que o dinheiro disponibilizado representa apenas 6,9 por cento do total das necessidades.A verba do CERF vai beneficiar cerca de 25 por cento do total de 2,3 milhões de pessoas afectadas pela seca e a insegurança alimentar no sul de Angola e que, deste número, cerca de 490 mil são crianças menores de cinco anos. O Fundo vai apoiar também a saúde e a protecção de cerca de 37 mil grávidas.

Segundo uma nota enviada ao NG, a resposta humanitária da ONU foca-se na malnutrição, água e saneamento, agricultura e segurança alimentar, saúde e protecção e será implementada nos próximos seis meses conjuntamente pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Organização Mundial da Saúde (OMS). Do dinheiro disponibilizado, 44 por cento vai ser direccionado à nutrição, 27,8 por cento à água e saneamento e o restante dividido entre projectos de saúde, segurança alimentar e agricultura e protecção.

Dados do Governo Provincial do Cunene indicam que, entre Janeiro a Março deste ano, o número de pessoas que precisa de ajuda humanitária nessa província aumentou de cerca de 250 mil para cerca de 860 mil, o que representa 80 por cento do total da população.

Em Abril, João Lourenço aprovou um pacote financeiro de 200 milhões de dólares para solucionar problemas estruturantes ligados aos efeitos destrutivos da seca no Cunene. No início de Maio, o ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, reafirmou que o Governo tinha disponível mais de 600 milhões de dólares para combater a seca no sul.

O CERF foi criado em 2005 pelas Nações Unidas com o objectivo de responder, de forma imediata e ágil, a situações de crises humanas em todo o mundo. É gerido pelo escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), que é o principal órgão da ONU para fazer frente a este tipo de crises.