Dados do Ministério do Interior

Menos crimes violentos em 2018

Houve uma redução de crimes violentos, em 2018, garante o Ministério do Interior. O maior número foi registado dentro de casa, com as vítimas a serem muito próximas dos agressores.

Menos crimes violentos em 2018
Mário Mujetes
Ângelo da Veiga Tavares, ministro do Interior

Segundo a Polícia, as mais de 30 operações, com destaque para a ‘relâmpago’, ‘transparência’ e ‘resgate’, realizadas e outras ainda em curso, contribuíram para detectar diversas “condutas criminais”.

Em 2018, a Polícia Nacional (PN) registou uma redução de crimes violentos, numa altura em que 79 por cento dos homicídios verificados foram cometidos por familiares ou pessoas próximas das vítimas. Os dados foram divulgados pelo ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, na abertura do Conselho Consultivo da PN, realizado esta semana.

Grande parte dos crimes violentos registados foram cometidos dentro da família ou por alguém próximo das vítimas, com o ministro a recomendar “acções incisivas do Estado, das igrejas, das associações e da sociedade”. Nesta lista, estão, por exemplo, 79 por cento dos homicídios voluntários, 90 por cento das ofensas corporais voluntárias e 74 por cento de violações.

De acordo com o governante, as mais de 30 operações, com destaque para a ‘relâmpago’, ‘transparência’ e ‘resgate’, realizadas e outras ainda em curso, contribuíram para detectar diversas “condutas criminais”.

O comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo Gaspar de Almeida, admitiu ter havido “insuficiências, altos erros cometidos, deficiências e dificuldades”, em 2018, mas que o “mais importante foi conseguir conter e reduzir a tendência ascendente do crime”.

O responsável realçou também que a Polícia se encontra numa época de mudança de gerações, muitos quadros emergiram nos anos 1960 e 1970, alguns no início dos anos 1980, “estão a despedir-se”. O responsável garante que muitos passarão para a reforma este ano, num processo “normal e não atípico”, explicou.