No combate à delinquência na juventude e no uso de drogas

Jovens Unidos organizam torneio de futebol salão

Com periodicidade anual, a Organização Jovens Unidos (OJU) organiza um torneio de futebol de salão e conta ter a participação de 20 equipas. O objectivo da competição é combater a delinquência juvenil, o uso de drogas e promover o autoemprego.

Jovens Unidos organizam torneio de futebol salão
Santos Samuesseca
Cissé FC (vermelho) actual campeão em título

Nesta competição, as 20 equipas devem inscrever apenas 18 jogadores e seis dirigentes, mas para os jogos, cada formação deve convocar 12 atletas, seis em campo e outros seis no banco de suplentes, e um massagista devidamente credenciado.

No Kilamba Kiaxi, no Golfe, a Organização dos Jovens Unidos (OJU) realiza a 8.ª edição do torneio de futebol salão com a participação de 20 equipas. Este ano, a organização homenageia o maior goleador e antigo capitão da selecção nacional Fabrice Maieco ‘Akwa’, pela trajectória desportiva e por ser um exemplo a seguir por mais jovens.

Com o lema ‘Preparar a juventude hoje, para um amanhã seguro’, a 8.ª edição do torneio começou na semana passada, no antigo quintalão do Petro, também conhecido e baptizado pela a organização como ‘estádio do buraco’ por conter muitas ravinas. A final está previstapara Setembro. Além da vertente competitiva, o torneio serve como verdadeira fábrica na descoberta de novos talentos.

Nesta competição, as 20 equipas devem inscrever apenas 18 jogadores e seis dirigentes, mas para os jogos, cada formação deve convocar 12 atletas, seis em campo e outros seis no banco de suplentes, e um massagista devidamente credenciado. O incumprimento pode levar a multa ao clube prevaricador. A formação do Cissé FC é o actual detentor do título conquistado no ano passado.

 

Jovens Unidos organizam torneio de futebol salão

(Torneio em homenagem ao Akwá numa organização dos Jovens Unidos.)

Em declarações ao NG, Akwa não escondeu a felicidade pela iniciativa e aconselha os jovens a deixar as más práticas. “Não procuro dinheiro, mas reconhecimento daquilo que fiz pelo país”.

Feliz, o autor do golo que garantiu a qualificação na primeira participação num mundial de futebol, que decorreu em 2006 na Alemanha, já se sente satisfeito pelas “homenagens e carinho” que tem recebido de “todos os

lados de Angola”, mas queixa-se da “falta de gratidão por parte da Federação Angolana de Futebol e do Ministério da Juventude e Desporto no reconhecimento dos antigos praticantes que deram o melhor pelo país.

Por sua vez, Yuri Chipaco, vice-presidente da OJU e coordenador do torneio, garante não ter sido fácil trazer o antigo jogador, devido à concorrida agenda, mas mostra-se feliz pela adesão das equipas e do público que amam o futebol. Igualmente sublinha que a sua organização tem vindo a incentivar a juventude em encontrar outros meios e formas de diversão para que não possam se perder em bebidas alcoólicas, drogas e até mesmo na delinquência.

CURSOS PARA OS MELHORES

Para este ano, a Organização Jovens Unidos resolveu premiaras equipas e atletas: a vencedora recebe 220 mil kwanzas, uma taça de campeão e um certificado de participação, o segundo classificado recebe igualmente uma taça, certificado e 120 mil kwanzas, já o terceiro e o último classificado recebe 45 mil kwanzas e certificado. Individualmente, o melhor jogador, marcador e guarda-redes são agraciados com cinco mil e um curso técnico profissional a cada um deles. 

Outros artigos do autor

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS