1.º Galardão será entregue em Junho, no valor de 15 mil euros

Instituto Camões lança prémio para distinguir literatura angolana

Instituto Camões lança prémio para distinguir literatura angolana
DR
1.ª edição vai distinguir trabalhos em poesia

Com este acordo, o grupo dst torna-se na 13.ª empresa a aderir à iniciativa Empresa Promotora da Língua Portuguesa (EPLP), lançada pelo instituto Camões, em 2017, e que visa associar os esforços de internacionalização das empresas à promoção da língua e cultura portuguesas.

O Instituto Camões, em parceria com o grupo empresarial português dst, lançou esta quarta-feira, em Lisboa, Portugal, um prémio literário anual no valor de 15 mil euros que visa distinguir trabalhos de poesia e prosa de escritores angolanos.

O Prémio de Literatura dstangola/Camões, apresentado publicamente no auditório do Camões — Instituto da Cooperação e da Língua, visa distinguir, anualmente e de forma alternada, os trabalhos em poesia e prosa de artistas nascidos em Angola, residentes ou não, com obras publicadas no país ou no estrangeiro, nos dois anos anteriores, desde que em língua portuguesa, segundo explicou aos jornalistas o presidente do grupo Domingos da Silva Teixeira (dst), José Gonçalves Teixeira.

Com um valor de 15 mil euros, o prémio terá como júri a professora Irene Guerra Marques, o escritor José Agualusa e o jornalista e director do Novo Jornal de Angola, Carlos Ferreira. A primeira edição, cujo galardão será entregue a 10 de Junho, em Luanda, distinguirá trabalhos em poesia enquanto na edição seguinte serão distinguidos trabalhos em prosa.

Na sessão pública de apresentação, em que marcaram presença a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Teresa Ribeiro, e o presidente do instituto Camões, Luís Faro Ramos, foi ainda assinado com aquele grupo empresarial um protocolo de apoio à biblioteca do Centro Cultural Português em Luanda.

“Compramos umas centenas de livros [para a biblioteca], no valor de mais de 12.500 euros e depois, durante três anos, haverá um reforço de seis mil euros ano também em livros”, disse José Gonçalves Teixeira.

Com este acordo, o grupo dst torna-se na 13.ª empresa a aderir à iniciativa Empresa Promotora da Língua Portuguesa (EPLP), lançada pelo instituto Camões, em 2017, e que visa associar os esforços de internacionalização das empresas à promoção da língua e cultura portuguesas.

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS