Na Singapura

Homem detido por comprar bilhete e não viajar

A polícia de Singapura emitiu um aviso aos residentes para não comprarem bilhetes de avião de forma indevida, ou seja, sem ser com o objectivo de voar.

Homem detido por comprar bilhete e não viajar
D.R.

Singapura tem um crime original: é ilegal aceder à área de embarque do aeroporto e não viajar. Só este ano, foram presas 33 pessoas. Uma delas passou 18 dias no aeroporto para experimentar os 'lounges'.

O aviso surge depois de um homem ter sido detido por comprar um bilhete de avião apenas para poder acompanhar a mulher até à porta de embarque do aeroporto de Changi. 

De acordo com a CNN, a utilização indevida de bilhetes de embarque é considerado um crime em Singapura, onde as áreas de passagem são consideradas “locais protegidos” e onde se têm registado casos de muita gente que entra no aeroporto, com bilhete comprado, só para aproveitar as instalações.

Através de uma publicação no Facebook, as autoridades informaram que qualquer pessoa que aceda à área das portas de embarque do aeroporto sem intenção de voar pode ser condenada, ao abrigo da Lei de Proteção das Infra-estruturas de Singapura, a multas até aos 14 mil dólares ou a pena de prisão até dois anos. Só este ano, já foram detidas 33 pessoas ao abrigo desta lei, acrescenta a mesma publicação.

As autoridades alertaram ainda para o facto de que “os passageiros que entrem nas áreas de passagem com um bilhete de embarque devem apenas estar lá para o propósito de viajar até ao próximo destino”.

O aeroporto de Singapura é considerado por muitos um dos melhores e maiores aeroportos do mundo. Em Abril, o aeroporto foi destaque na imprensa internacional depois de ter sido inaugurado um novo terminal, com uma cascata de 40 metros — a maior do mundo em interiores –, um parque de 14 mil metros quadrados, uma ponte suspensa e um dos maiores jardins interiores da Ásia, onde foram plantadas mais de três mil árvores.

Por ser um dos aeroportos mais conhecidos do mundo, também muita gente quer aproveitá-lo sem ser com o objectivo de viajar. O caso mais conhecido ocorreu em 2016, quando um homem foi preso por ter passado 18 dias dentro do aeroporto ao comprar múltiplos bilhetes de embarque para entrar e desfrutar dos nove 'lounges' luxuosos do aeroporto. Pouco tempo depois, um casal foi também preso por comprar bilhetes flexíveis para aceder ao shopping de Changi, onde compraram um iPhone 7, conta a CNN.

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS