Projecto avaliado em 500 mil milhões de dólares

Arábia Saudita quer construir cidade ‘paradisíaca’

O ‘Wall Street Journal’ teve acesso a supostos documentos que detalham a proposta para um novo super-projecto urbano na Arábia Saudita. Em Neom, a cidade do futuro construída no deserto, haverá mais robôs do que humanos. Os habitantes mecânicos vão fazer a vez de entretenimento, empregados e haverá até mesmo dinossauros.

Arábia Saudita quer construir cidade ‘paradisíaca’
D.R.
Mohammed bin Salman

Mohammed bin SalmanPríncipe herdeiro da Arábia Saudita

Os professores darão aulas através de dispositivos holográficos e um conjunto de câmaras, sensores e sistemas de reconhecimento facial serão postos em prática – apenas para a segurança dos seus habitantes.

A proposta inclui um parque jurássico tecnológico, além de uma praia que brilha no escuro e até mesmo uma lua artificial, simulada através de um 'enxame' de drones. 

Os professores darão aulas através de dispositivos holográficos e um conjunto de câmaras, sensores e sistemas de reconhecimento facial serão postos em prática – apenas para a segurança dos seus habitantes. “Eu não quero quaisquer estradas ou asfalto. Teremos carros voadores em 2030!", disse o príncipe Fahd bin Sultan, governador local, em reunião de planeamento. Resultado: Neom será atendida por táxis voadores, e dirigir mesmo será uma tarefa unicamente fascinante. “Pense em dirigir uma Ferrari por um deserto irrigado por chuvas programadas artificialmente”, sugeriu.

Além de planear criar a cidade de maior IDH do planeta, os autores da proposta querem também a maior quantidade de restaurantes Michelin per capita.

O projecto, que conta com injecção de 500 mil milhões de dólares do governo, é central para o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, cuja principal bandeira é modernizar e diversificar a economia saudita até 2030. As construções já começaram na costa do Mar Vermelho, próximo da fronteira do Egipto.

Analistas temem que, sem ajuda externa, o projecto possa cair por terra. Algo que já aconteceu na história recente do país, com a cidade económica Rei Abdullah, o único de seis mega-projectos anunciados pelo governo saudita em 2005 a ser realmente erguido, e que hoje enfrenta problemas para atrair capital e inclusive habitantes.

Outros artigos do autor