Campeonato de futebol carregado de desconfianças e emoções

1.º de Agosto e Petro decidem o título

Emoção, até ao último minuto, é o que se espera do final do campeonato de futebol desta temporada. António Cosano, técnico 'tricolor', desconfia da viciação de resultados, mas o comentador desportivo José Correia considera que foi um bom Girabola e lamenta a descida para a 2.ª divisão do Kabuscorp, devido à desorganização interna.

1.º de Agosto e Petro decidem o título
Santos Sumuesseca
1.º de Agosto e Petro de Luanda
António Cosano

António Cosano técnico do Petro de Luanda

O técnico espanhol entende que a vitória do 1.º de Agosto foi facilitada pela formação do KuandoKubango, alegando ser patrocinada pelas Forças Armadas Angolanas.

Inicialmente marcado para a próxima quarta-feira, a última jornada do principal campeonato de futebol abre, neste sábado, com quatro jogos: Kuando-Kubango-Recreativo do Libolo, Santa Rita de Cássia-Sporting de Cabinda, Académica do Lobito-Saurimo FC e ASA-Recreativo da Caála. Para o domingo, estão agendadas as restantes partidas e também vai ser conhecido o novo campeão.

'Perseguição Sem Tréguas' bem poderia ser o título de um filme que ilustrasse o Girabola deste ano, em que os protagonistas são o 1.º de Agosto, equipa das Forças Armadas Angolanas, e o Petro de Luanda, propriedade da Sonangol. Todos os olhos e ouvidos estão virados para o estádio '11 de Novembro', onde o Kabuscorp, com 49 pontos e com a ameaça de ser relegado para a 2.ª divisão, recebe o moralizado 1.º de Agosto. Já na antiga baixa de Luanda, o 7.º classificado, com 39 pontos, o Progresso do Sambizanga recebe o Petro de Luanda nos Coqueiros. Um ponto é a distância que separa os dois maiores rivais do futebol angolano.

A depender apenas de si para alcançar o desejado 'tetra', o 1.º de Agosto, às ordens do bósnio Dragan Jovic, comanda o Girabola com 64 pontos, num registo de 19 vitórias, 10 empates e sem derrotas, com 50 golos marcados e apenas nove sofridos, mais um em relação ao campeonato transacto, quando, no ataque, teve uma melhoria de 19 tentos. Já nas bandas do Catetão, o Petro de Luanda, moldado pelo espanhol António Cosano, tem 63 pontos, com 19 triunfos, seis empates, quatro derrotas, 39 golos marcados e 14 consentidos.

A fdalta de salários e de prémios de jogos, que assombra o Progresso, pode ser um factor a pesar nos jogadores a não se entregarem ao jogo, o que os petrolíferos poderão usar e aproveitar a seu favor. Para o Petro de Luanda somar a 16.º Girabola, que foge há anos, deve vencer o Progresso e aguardar que o 1.º de Agosto perca com o Kabuscorp, ou empate, o que, segundo alguns comentadores será impossível acontecer, porque o presidente do Kabuscorp, Bento Kangamba, é sócio do clube militar.

 

DESCONFIANÇA DE COSANO

No final do jogo no '11 de Novembro', em que o Petro venceu a Académica do Lobito, o treinador da formação do Catetão, António Cosano, admitiu que o grupo "tem força e confiança" para vencer o Progresso na última jornada, mas afirmava "desconfiar de questões externas incontroláveis do jogo" do seu rival que defronta o Kabuscorp. Cosano entende que a vitória do 1.º de Agosto foi facilitada pela formação do Kuando-Kubango alegando ser patrocinada pelas Forças Armadas Angolanas.

Devido a estas declarações, vários internautas reagiram da pior forma e acusaram o treinador 'tricolor' de atirar a tolha ao relvado, lembrando também que há equipas patrocinadas pela Sonangol.

O comentador desportivo José Correia considera que este foi um campeonato "normal" apesar de algumas irregularidades e elogia "a coragem do presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur de Almeida e Silva, e a sua companhia por organizar a competição com "êxito".

 

ASA SEM ASA

Ao vencer por 6-2, à moda antiga, o Sporting de Cabinda assegurou a manutenção na 1.ª divisão e sentenciou a despromoção do ASA para o escalão inferior. A equipa do aeroporto foi a Cabinda sem jogadores suplentes. Mas, com a possível descida do Kabuscorp, o ASA pode ainda ser ‘salvo’ pela direcção da FAF, uma vez que duas equipas, Kuando-Kubango e Saurimo, vão disputar o campeonato da segunda divisão do próximo ano.

Na derradeira jornada, o ASA recebe o Recreativo de Caála, em nono com 36 pontos, enquanto o Kuando-Kubango é visitado pelo Recreativo do Libolo. O Saurimo desloca-se a Lobito para enfrentar a Académica.

'Mão pesada' da FAF

O Kabuscorp do Palanca perdeu nove pontos devido a alegadas dívidas a um antigo jogador, treinadores e médico, mas seis pontos foram repostos, quando a direcção do clube exibiu à FAF, as facturas que comprovam os pagamentos.

A FAF puniu também o 1.º de Agosto e Desportivo da Huíla e estes perderam três pontos por alegada viciação de resultado no jogo entre ambos da 17.ª jornada. O Bravos do Maquis também perdeu três pontos devido a uma dívida a um atleta.