Para futuras vacinas

UNICEF prevê adquirir mais de mil milhões de seringas

A UNICEF quer adquirir mais de mil milhões de seringas até ao final de 2021 para possibilitar o lançamento de campanhas de imunização em massa assim que as vacinas contra a covid-19 estejam disponíveis.

UNICEF prevê adquirir mais de mil milhões de seringas
D.R

“Vacinar o mundo contra a doença da covid-19 será em breve uma das tarefas mais gigantescas da história da humanidade, e teremos de avançar o mais rápido possível assim que as vacinas poderem ser produzidas", declarou a directora-executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Henrietta Fore, citada num comunicado.

"De forma a avançarmos mais rápido, no futuro, precisamos de avançar rapidamente agora", frisou a representante, precisando que, até ao final de 2020, a UNICEF pretende adquirir e armazenar 520 milhões de seringas em zonas que irão possibilitar uma rápida e mais económica mobilização.

Para dar uma ideia da dimensão da tarefa, Henrietta Fore frisou que este número de seringas é o suficiente para "dar uma volta e meia ao mundo".

Durante 2021, e partindo do pressuposto que vão existir doses suficientes das vacinas contra a doença Covid-19, a UNICEF espera atingir as mil milhões de seringas para apoiar os esforços de imunização contra o novo coronavírus à escala global.

A este número, juntam-se as outras 620 milhões de seringas que a agência da ONU vai adquirir para outros programas de vacinação contra outras doenças, como, por exemplo, o sarampo e a febre tifóide.

Até à data, não existe nenhuma vacina operacional contra a covid-19, doença provocada pelo coronavírus SARS-Cov-2, que já matou mais de 1,1 milhões de pessoas em todo o mundo desde o final de Dezembro de 2019, altura em que a estirpe foi detectada na China.