Funcionários exigem aumento salarial na ordem dos 80 por cento

Trabalhadores do CFL em greve

Trabalhadores do CFL em greve
DR

Os trabalhadores dos Caminhos-de-Ferro de Luanda (CFL) iniciaram hoje, segunda-feira (14), uma greve geral, por tempo indeterminado, levando à paralisação de 89 por cento dos 17 comboios que operam no trajecto Bungo/Baia.

Em causa, está a falta de acordo entre o sindicato dos trabalhadores e a entidade patronal.

Os grevistas exigem, entre outros benefícios, um aumento salarial na ordem dos 80 por cento, subsídio de alimentação, transporte e de instalação.

Em função da deliberação aprovada na última sexta-feira, 12, pelos trabalhadores, a partir desta segunda-feira os mesmos prestam apenas serviços mínimos obrigatórios.

Assim, têm à disposição da população um comboio no período da manhã (7 horas), que já saiu de Viana até ao Bungo, e outro às 16horas, no sentido inverso, que poderão transportar pouco mais de 350 pessoas por viagem.

Com o início da greve, por tempo indeterminado, os comboios de carga e os de passageiros inter-provinciais (Luanda/Kwanza-Norte/Malanje), que fazem duas corridas semanais, ficam totalmente paralisados.

Os CFL realizam diariamente 17 viagens de comboio suburbano de passageiros, transportando nos três serviços perto de seis mil pessoas que pagam 500 kwanzas em primeira classe, 200 na segunda classe e 30 na terceira classe.

 

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS