Lesoto

Primeira-dama acusada de matar ex-mulher do marido

A primeira-dama do Lesoto, um pequeno reino montanhoso da África Austral, entregou-se à polícia e foi acusada de assassinar a ex-mulher do seu marido – o primeiro-ministro, Thomas Thabane.

Primeira-dama acusada de matar ex-mulher do marido
D.R

Segundo a CNN, a polícia informou que Maesaiah Thabane se entregou numa esquadra policial na terça-feira, poucas semanas de ter sido convocada para prestar declarações sobre o crime – a primeira-dama tinha faltado a essa convocatória e saiu do país (a 10 de Janeiro).

A mulher chama-se Maesaiah Thabane, tem 42 anos e é casada com o primeiro-ministro, que tem 80 anos e que, na sequência deste escândalo, decidiu colocar o lugar à disposição.

A ex-mulher do primeiro-ministro, com quem ainda estavam a ser negociadas as condições do divórcio, foi baleada à porta de casa em Maseru, a capital do pequeno país que é rodeado pela África do Sul. O crime ocorreu dois dias antes da tomada de posse do primeiro-ministro para o seu segundo mandato, em Junho de 2017. Estava acompanhada, naquela noite, por outra mulher, que também ficou ferida mas sobreviveu ao ataque.

Segundo a CNN, a polícia informou que Maesaiah Thabane se entregou numa esquadra policial na terça-feira, poucas semanas de ter sido convocada para prestar declarações sobre o crime – a primeira-dama tinha faltado a essa convocatória e saiu do país (a 10 de Janeiro). Sobretudo desde aí, tornou-se a principal suspeita do crime e nos últimos dias surgiram notícias de que estava prestes a ser emitido um mandado de captura, com acusação de homicídio. Mal regressou ao país, nesta terça-feira, entregou-se às autoridades.

Perante a fortíssima pressão política da oposição, o primeiro-ministro confirmou que vai abandonar a liderança política do pequeno país, embora não tenha sido ainda firmada uma data para a saída. Thomas Thabane tinha casado com Maesaiah menos de três meses depois de se divorciar da primeira mulher, mas os termos da separação ainda estavam a ser negociados.

O primeiro-ministro terá, aliás, segundo provas recolhidas pela investigação citadas pela imprensa local, usado o seu telemóvel para comunicar com alguém que estava no local do crime, à mesma hora em que se acredita que a ex-mulher terá sido baleada. Esse contacto terá sido, acredita a polícia, com a sua actual mulher, que teria acabado de cometer o crime ou estaria prestes a fazê-lo.

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS