Com 7.964 moradias

Presidente inaugura Centralidade do Zango 5

O Presidente da República, João Lourenço, inaugurou esta quinta-feira, em Luanda, a Centralidade do Zango 5, um projecto habitacional com 7.964 moradias.

Presidente inaugura Centralidade do Zango 5
D.R
João Lourenço, Presidente da República

Após o corte da fita, o chefe de Estado angolano, acompanhado da primeira-dama da República, Ana Dias Lourenço, assistiu à projecção de um vídeo sobre as fases de construção da Centralidade, concebida para 47.784 habitantes.

Edificada no sudeste da cidade de Luanda, no município de Viana, a Centralidade do Zango 5 contempla moradias isoladas e geminadas (com três quartos) e edifícios com apartamentos de dois e três pisos. Os primeiros moradores receberam as chaves em Outubro de 2018.

Ainda no interior da Centralidade, João Lourenço inaugurou também uma escola primária com 24 salas de aulas, das seis existentes no perímetro. Deste modo, mais de 12 mil vagas estarão disponíveis para o próximo ano lectivo.

Está prevista para 2020 a entrada em funcionamento três escolas primárias, um complexo que leccionará da 7.ª a 12.ª classe, um Instituto Politécnico e um Técnico Médio de Saúde.

Serviços de Saúde

Os primeiros moradores da Centralidade do Zango 5 lamentam a falta de uma unidade sanitária para atendimento de urgência na circunscrição e de outros serviços.

Em declarações à Angop, alguns moradores foram unânimes em afirmar que a área necessita de mais serviços, para que se torne, de facto, “habitável”.

Mateus Amaral, coordenador do Quarteirão H, lamentou o facto de não terem sido acautelados aspectos como a abertura de esquadras, casa de velórios, bancos, supermercados e lojas de conveniência, o que obriga os moradores a obterem os serviços mínimos fora da  centralidade.

Para Mateus Amaral, que disse ter morado em condições precárias no Golf 2, os moradores têm enfrentado muitos problemas relacionados com o acesso aos serviços de saúde, transportes públicos, saneamento básico e policiamento.

Habitante, há um ano, na Centralidade hoje inaugurada, Mateus Amaral disse que encontrou boas condições de habitabilidade na nova casa.

Por seu turno, Fernando Airosa, coordenador do Quarteirão G e residente na centralidade há 11 meses, solicitou ao Governo a instalação de uma linha de transporte público para ligar o Zango 5 a outros pontos da cidade de Luanda.

Sugeriu também a contratação de uma empresa de recolha de resíduos sólidos para a limpeza da centralidade, já que esse trabalho tem sido feito pelos moradores.

Apesar da falta destes serviços, o coordenador mostrou-se satisfeito por ter conseguido uma residência nessa novo espaço habitacional, pois permitiu ultrapassar o problema da falta de casa própria que enfrentava.

A inauguração da Centralidade do Zango 5 enquadra-se na jornada de campo de dois dias que o Presidente da República cumpre, desde quarta-feira, à província de Luanda.

A jornada termina na tarde de hoje com uma visita ao Projecto Integrado de Desenvolvimento Agrícola e Regional da Quiminha, no município de Icolo e Bengo.

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS