Na Costa do Marfim

Moradores destroem centro contra coronavírus

Os moradores de um bairro de Abidjan, na Costa do Marfim, destruíram violentamente, neste domingo (5), um centro em construção para a luta contra a pandemia do novo coronavírus, indicaram a polícia e o ministério da Saúde.

Moradores destroem centro contra coronavírus
D.R

Em vídeos que circulam pelas redes sociais, dezenas de pessoas aparecem a desmontar uma barraca em obras. Alguns gritavam, "Não queremos!"

Os factos ocorreram numa grande praça de Yopougon, em Abidjan, capital económica do país, com uma população de cinco milhões de habitantes.

"A população manifestou-se contra a instalação de um centro de combate ao coronavírus porque avalia que está perto demais de uma área residencial", explicou à AFP um comando policial que pediu o anonimato.

O edifício, ainda em construção, não foi concebido como um centro de tratamento dos doentes, mas um "centro de testes", afirmou um funcionário do ministério da Saúde, que também preferiu o anonimato.

Esta é a primeira vez que se manifestam incidentes relacionados à pandemia de Covid-19 na Costa do Marfim, país da África ocidental pouco afectado, segundo o balanço oficial (no domingo havia 261 casos e três mortes).

No entanto, as autoridades temem por uma expansão da epidemia e estão a aumentar a capacidade de prevenção.

Foram tomadas medidas estritas para combater a pandemia: quarentena em Abidjan, isolada do resto do país, recolher obrigatório nocturno em todo o território, encerramento de todas as lojas não essenciais, colégios e locais de culto, proibição de aglomerações. Por enquanto, não há confinamento.

O governo anunciou na terça-feira um plano de apoio global, equivalente a 2,8 mil milhões de dólares para fazer face às consequências económicas e sociais da pandemia. Prevê que o crescimento económico reduzirá pela metade, a 3,6% em 2020.

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS