Segundo a secretária de Estado para Acção Social

Mais de dois mil casos contra crianças em seis meses

A secretária de Estado para Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Ruth Mixinge, anunciou hoje, segunda-feira, em Luanda, que o Inac registou 2.106 casos de violência contra menores no primeiro semestre deste ano.

Mais de dois mil casos contra crianças em seis meses
DR
Ruth Mixinge, secretária de Estado para Acção Social

A formação visa trocar experiências, ideias e criar um sistema integrado de colecta e gestão de dados, com vista a facilitar a análise da situação de todas as crianças, sobretudo as que se encontram em situação de vulnerabilidade.

A responsável, que falava em Cacuaco, durante a abertura formação de formadores para técnicos dos serviços provinciais do Instituto Nacional da Criança (Inac) e gabinetes provinciais da Acção Social sobre gestão de casos de violência contra crianças, dirigida a representantes das 18 províncias do país.

De acordo com a dirigente, dos mais de dois mil casos registados pelo Inac, 1.108 estão relacionados com a fuga à paternidade e 267 com a negligência.

Ruth Mixinge reconheceu ainda a necessidade de melhoria dos mecanismos de recolha, análise e gestão dos casos de violência contra a criança, para se obterem dados mais precisos.

A responsável pede, para o efeito, mais intervenção da comunicação social na mobilização e sensibilização dos cidadãos, assim como na divulgação dos adultos que violentam menores.

Mixinge disse que esses números não reflectem a real dimensão do problema, pois, notou, há muitos outros que não são reportados.

Segundo Jeovani Francisco, representante do UNICEF, a sua instituição vai apoiar o INAC na elaboração de um programa de atendimento das crianças em situação de risco.

Durante dois dias, os técnicos vão abordar questões como ‘A gestão de casos a partir dos fluxos de atendimento da criança vítima de violência e em situação de vulnerabilidade’, ‘As directrizes sobre cuidados alternativos para crianças e principais desafios para a sua operacionalização’ e ‘A comunicação no processo de gestão de caso’.

A formação visa trocar experiências, ideias e criar um sistema integrado de colecta e gestão de dados, com vista a facilitar a análise da situação de todas as crianças, sobretudo as que se encontram em situação de vulnerabilidade.

É igualmente propósito da capacitação, tornar funcional, os serviços da acção social nos municípios, tornando-os capazes de responder em tempo oportuno as inquietações sobre as crianças.

Participam da formação, técnicos dos serviços provinciais do INAC, chefes de secção da protecção da criança e departamento dos gabinetes de acção social, família e igualdade do género, de todo o país.

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS