No primeiro trimestre deste ano

Julgados vinte casos de tráficos de seres humanos

Durante o primeiro trimestre deste ano, foram julgados, pelo menos, 20 casos por tráfico de seres humanos em todo o país, informou esta terça-feira, em Luanda, o sub-procurador-geral da República, junto do Serviço de Migração e Estrangeiro (SME).

Julgados vinte casos de tráficos de seres humanos
D.R.

De 2016 a 2018, Angola registou, pelo menos, 33 casos de tráfico de seres humanos, tendo sido detidos 56 pessoas, entre nacionais e estrangeiros, e resgatada uma centena de vítimas, 69 crianças das quais e 31 mulheres.

Segundo Astergido Culolo, o Cunene, o Zaire e a Lunda-Norte são as províncias que mais dominam as estatísticas sobre os casos, por serem regiões limítrofes.

Numa palestra dirigida pelo Ministério da Justiça e dos Direitos Humanos dirigida aos efectivos da Polícia Nacional sobre ‘Tráfico de Seres Humanos em Angola’, o magistrado do Ministério Público referiu que é importante munir os efectivos de elementos que facilitem a identificação de qualquer caso suspeita de tráfico de pessoas, com destaque para a prostituição, o contrabando de órgãos e a exploração de trabalho infantil.

Para o sub-procurador-geral da República, a grande preocupação prende-se com a movimentação de crianças, dentro e fora do país, pois muitos não cumprem com as leis estabelecidas. Por isso, como estratégias para reduzir tais práticas, avançou que o Estado está a elaborador um programa nacional de prevenção e combate ao tráfico de seres humanos, que tem servido para a exploração sexual, trabalho infantil ou extracção de órgãos.

De 2016 a 2018, Angola registou, pelo menos, 33 casos de tráfico de seres humanos, tendo sido detidos 56 pessoas, entre nacionais e estrangeiros, e resgatada uma centena de vítimas, 69 crianças das quais e 31 mulheres.

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS