Depois de três meses encerradas

Itália abre fronteiras no espaço Schengen

A Itália permite, a partir de hoje, a livre circulação entre as suas regiões e abre as fronteiras com o resto da União Europeia, depois de três meses encerradas devido à pandemia da covid-19.

Itália abre fronteiras no espaço Schengen
D.R

“Hoje parece uma conquista se pensarmos nas condições de há alguns meses. Conseguimo-lo com o sacrifício de todos, mas é preciso lembrar que o vírus ainda vive connosco”, afirmou o ministro de Assuntos Regionais, Francesco Boccia, defendendo que não se pode esquecer “as 33.000 pessoas que morreram e os trabalhadores de saúde que fizeram um esforço incrível”.

Depois de algumas divisões entre os presidentes das regiões, especialmente os do sul e das ilhas, que temiam a chegada de cidadãos do norte, onde ainda ocorre o maior número de infecções, a “circulação incondicional” foi finalmente imposta, embora cada região possa escolher as medidas a usar para detectar potenciais infectados com o coronavírus.

O primeiro dia de reabertura das fronteiras sem necessidade de quarentena para os cidadãos dos países do espaço Schengen também significou um reforço da vigilância nos aeroportos do país, como em Fiumicino, Roma.

No aeroporto da capital estão agendados hoje 100 voos, dos quais cerca de 60 são rotas nacionais e, destas, 20 dirigem-se para o norte da Itália.

No total, e desde o início da crise da covid-19 no país a 21 de Fevereiro, Itália contabiliza 33.530 vítimas mortais e 233.515 pessoas que estão ou estiveram infectadas com o novo coronavírus.

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS