Por suspeita de surto de peste suína africana

Inadec proíbe consumo da carne de porco da Huíla

Inadec proíbe consumo da carne de porco da Huíla
D.R.

A carne em causa foi abatida de forma tradicional, apresentando sinais de más condições de conservação para consumo o humano.

O Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec) alertou hoje, quinta-feira (10), a população de Cabinda a evitar o consumo de carnes de porco provenientes da Huíla, devido ao surto epidémico de peste suína africana que já causou a morte de mais de mil animais.

Segundo o chefe dos Serviços do Inadec em Cabinda, João Macaia, em declarações à Angop, o alerta serve de prevenção para evitar eventuais consequências à saúde humana, uma vez que a carne em causa, que chegou a Cabinda, foi abatida de forma tradicional, apresentando sinais de más condições de conservação para consumo o humano.

João Macaia referiu ainda que foram alertados, a partir de Luanda, para a tomada de  medidas cautelares e avisar a população para não adquirir a carne nem o chouriço caseiro provenientes da Huíla.

Sem avançar as quantidades existentes nos estabelecimentos comerciais e armazéns de venda desta carne, o gestor referiu que o alerta foi também para os agentes comerciais retalhistas e grossista para rapidamente se quantificar a carne em posse dos comerciantes a fim de retirar do circuito de venda.

Agentes comerciais locais, entre importadores e não importadores, adquiriram grande parte dos produtos perecíveis como  peixe, carne e ovos, dentro do país (Luanda e Huíla) e certa quantidade em países como o Congo Brazaville, Portugal e Espanha.

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS