Aos portadores de vírus da sida

Governo quer combater a falta de informação e o preconceito

O secretário de Estado da Saúde para área hospital, Leonardo Inocêncio, considera haver muita falta de informação e o preconceito que muitas famílias enfrentam quando têm um parente portador do vírus VIH.

Governo quer combater a falta de informação e o preconceito
Santos Sumuesseca

O alerta foi lançado durante o encontro nacional da Anaso, decorrido em Luanda.

Leonardo Inocêncio mostra-te preocupado com alta taxa de contaminação de mães para filhos e chama a atenção para a necessidade de melhorar a adesão do tratamento do VIH e tuberculose e melhorar as condições de vida da população, como a redução da pobreza e melhoria do saneamento básico e o combater a falta de informação e o preconceito.

O Inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde indica que cerca de 310 mil pessoas vivem com VIH no país. Até Dezembro do ano passado, estavam registadas cerca de 75.000 pessoas a receber tratamento com antirretrovirais. E apesar do esforço, com a implantação da Estratégia Testar e Tratar, regista-se uma taxa de abandono ao tratamento de cerca de 50 por cento e uma taxa de transmissão de VIH de mãe para o filho estimada em 26 por cento, tida como a mais elevada do mundo.

De acordo com Leonardo Inocêncio, o Ministério da Saúde está a promover mudanças na gestão do sistema nacional de saúde a fim de o tornar “mais eficiente e humanizado”, como a mobilização de recursos que permitam investimentos em melhorias e qualificação. E aponta o apoio da primeira-dama, Ana Dias Lourenço, que lidera a campanha ‘Nascer Livre para Brilhar’, com apoio das organizações da sociedade.

 

 

Outros artigos do autor