Covid-19: Até no final de Abril

UA estima que vários países ultrapassem 10 mil infecções

A União Africana (UA) estimou hoje que, no final de Abril, haverá países no continente a ultrapassar os 10 mil casos de covid-19, assinalando que as infecções estão a crescer de forma "brusca" e "consistente".

UA estima que vários países ultrapassem 10 mil infecções
D.R

 

“Projectamos que, no final de Abril, vamos começar a ver países a ultrapassarem a marca das 10 mil infecções", disse hoje, em Adis Abeba, o director do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), John Nkengasong.

John Nkengasong, que falava aos jornalistas no ‘briefing’ semanal sobre a progressão da doença no continente, adiantou que 49 países africanos somam hoje 6.213 infecções pelo novo coronavírus, das quais resultaram 221 mortes e 469 recuperações.

Neste contexto, o director do África CDC destacou os países onde o número das infecções é já na ordem das centenas: Argélia, Burkina Faso, Camarões, Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Egito, Gana, Maurícias, Marrocos, Senegal, África do Sul e Tunísia.

“Sempre dissemos que África ainda está a testemunhar a madrugada da pandemia. Teremos um pico, mas não consigo dizer se dentro de duas semanas ou uma semana ou menos, porque há muitos factores que podem determinar isso. África não é um país, mas um continente e vamos ver vários países a terem o seu pico em níveis diferentes”, disse.

John Nkengasong considerou que “é apenas uma questão de tempo” até a doença se instalar nas comunidades e provocar “uma explosão de infecções”.

O director do África CDC assinalou que quase metade dos países estão já a reportar casos de transmissão local da doença, sublinhando a importância de levar a sério as medidas de higiene, distanciamento social, quarentena ou recolher obrigatório que muitos países estão a adoptar.

“Devemos encorajar e levar o distanciamento social a sério, particularmente neste período em que os países estão a fechar as suas capitais e outras grandes cidades. Devemos colaborar com as autoridades para que estas medidas possam ser implementadas”, disse, apelando para a cooperação das populações.

John Nkengasong passou ainda em revista as medidas de apoio do África CDC aos países membros, apontando nomeadamente o trabalho conjunto da rede de instituições públicas de saúde dos estados membros (Task Force Covid-19) ou a formação e apoio técnico que está ser prestado, à distância, aos Estados-membros, em questões como o diagnóstico laboratorial, monitorização, prevenção e controlo da doença.

O África CDC distribuiu também 40 mil testes em 30 países e, em breve, irá distribuir mais 10 mil, numa doação do Governo da China.

 

 

 

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS