Desmente ministro Ângelo Veiga Tavares

Carros com droga no Senegal não são da Presidência de Angola

O ministro do Interior, Ângelo Veiga Tavares, desmentiu, esta segunda-feira, que a Presidência da República de Angola tenha encomendado viaturas do Brasil que carregavam droga dissimulada no seu interior, apreendida no porto de Dakar, Senegal.

Carros com droga no Senegal não são da Presidência de Angola
D.R.
Mercadoria era proveniente do Brasil.
Ângelo Veiga Tavares

Ângelo Veiga Tavares Ministro do Interior

O que podemos dizer já claramente e desmentir é o facto de essas viaturas serem propriedade ou terem sido encomendadas pela Presidência da República. A Presidência da República não fez encomenda de viaturas, não tem nenhuma ligação.

“O que podemos dizer já claramente e desmentir é o facto de essas viaturas serem propriedade ou terem sido encomendadas pela Presidência da República (de Angola). A Presidência da República não fez encomenda de viaturas, não tem nenhuma ligação” ao assunto, disse.

Segundo as agências noticiosas britânica Reuters e espanhola EFE, citadas pela Angop, as autoridades do Senegal anunciaram, no domingo, a apreensão de 798 quilogramas de cocaína escondida em carros transportados por um navio proveniente do Brasil, e que, supostamente, tinham como destino Angola.

O ministro confirmou ter sido apreendida a droga, dissimulada em mercadoria que se destinava a Luanda, cujo proprietário se desconhece.

“Algumas pessoas de má-fé pegaram na primeira notícia e procuraram disseminar essa informação, mas a informação não é verdadeira”, sublinhou o governante, acrescentando que Angola está a trabalhar com o Senegal para o esclarecimento do caso.

Ângelo Veiga Tavares avançou ainda que o gabinete angolano da Interpol está a interagir com o homólogo do Senegal, e que uma equipa do Serviço de Investigação Criminal (SIC) parte esta terça-feira para Dakar, a fim de trabalhar para o esclarecimento do caso.