ederação Angolana de Ginástica

Auxílio Jacob deixa presidência

Em final de mandato, o actual presidente da Federação Angolana de Ginástica, Auxílio Jacob, revela ao NG que não se vai recandidatar. Em Novembro, está marcada uma assembleia extraordinária para preparar as eleições.

Auxílio Jacob deixa presidência
D.R.

A minha presença na federação já não se impõe.

Auxílio Jacob vai deixar a presidência da federação, mas fica até ao final do mandato. O dirigente entende que chegou o momento de deixar a ginástica e sente-se de consciência tranquila por ter feito tudo na modalidade, destacando as medalhas conquistadas em campeonatos do mundo, africano e da zona cinco. “A minha presença na federação já não se impõe”, conclui.

O dirigente sublinha que deixa a presidência com “muito trabalho realizado com sucesso”, como o curso de treinadores, e com algum dinheiro nas contas da federação.

Em Novembro,vai ser convocada a assembleia extraordinária para preparar a renovação de mandatos e vão ser abertas as candidaturas à liderança.

Apesar de a ginástica estar implantada em quase todo o território, há três províncias ainda sem a prática da modalidade: Bengo, Lunda-Norte e Zaire. A justificação é a falta de infra-estruturas desportivas. No Moxico, foi constituída uma associação, mas os seus membros trabalham por gosto.

Sobre os Jogos Olímpicos, Auxílio Jacob entende que o objectivo “nunca é medalhar, mas participar” e assegura que tudo estar a ser feito para que o país marque presença nos Jogos de 2020, em Tóquio, Japão.

De acordo com Auxílio Jacob, a ginástica, por ser uma modalidade individual, encerra a necessidade de ter “muitos investimentos para, que um dia, Angola consiga medalhar numa competição do género”.

Auxílio Jacob garante que Angola não está em condições em obter medalhas em Jogos Olímpicos e, para que isto aconteça, um atleta do alto nível deve ter dez horas de treino com todas as condições criadas desde a alimentação ao descanso.

Outros artigos do autor