País soma 7.096

Angola ultrapassa os sete mil casos

Angola ultrapassa os sete mil casos
D.R

Angola registou 250 novos casos da covid-19, ultrapassando os 7.000 casos de infecção pelo novo coronavírus, um óbito e 127 doentes recuperados, nas últimas 24 horas, informou o secretário de Estado para a Saúde Pública.

Franco Mufinda disse nesta quinta-feira que os casos reportados dividem-se pelas províncias de Benguela (17), Cuanza Sul (3), Namibe (2), Cabinda (12), Cunene (11), Huíla (39), Zaire (12), Kuando-Kubango (1), Kwanza-Sul (1) e Luanda (152).

As idades dos casos notificados nas últimas 24 horas, sendo 144 homens e 106 mulheres, variam entre os 8 meses e 76 anos.

O caso que resultou em óbito registou-se no Uíje, um cidadão angolano, de 48 anos.

Com o quadro apresentado, Angola soma agora 7.096 casos, 228 óbitos, 2.928 recuperados e 3.940 activos, dos quais 14 críticos, 17 graves, 98 moderados, 411 leves e 3.400 assintomáticos.

Nos centros de tratamento estão em seguimento 543 doentes, tendo os laboratórios processado 2.981 amostras, das quais 250 tiveram resultado positivo, fazendo o cumulativo até à data de 126.332 amostras processadas, das quais 7.096 positivas.

O secretário de Estado para a Saúde Pública lembrou que o processo de testagem está descentralizado, referindo que além do sector público as pessoas podem dirigir-se a privados.

"Vamos relembrar que no que toca às solicitações para viagens para o exterior do país é mandatório realizar o teste de RT-PCR, que os seguintes laboratórios, além do setor público foram autorizados: clínicas Girassol, Sagrada esperança, Multiperfil e Luanda Medical Center", disse.

Para os voos domésticos, o governante apelou aos nacionais e estrangeiros para que façam uma marcação atempada da sua testagem, para ajudar evitar que haja muita gente nas filas, facilitando a gestão do processo.

Para estes casos, estão disponíveis laboratórios privados para se efetuar este serviço, nomeadamente as clínicas Girassol, Sagrada Esperança, Multiperfil, Luanda Medical Center, Mediag, Centralab, Cligest e Cidil.

No que se refere à circulação no interior do país, as autoridades aconselham realizar o teste serológico,

Franco Mufinda informou também que a partir de segunda-feira, os testes para as viagens a título individual e para quem, por livre vontade, quiser saber do seu estado, passarão a ser comparticipados, ou seja, pagos.

"E isso estamos a referir-nos ao sector público. Quem quer saber do seu estado, por motivo de viagem também passará a comparticipar e a peça legal será divulgada segunda-feira, quanto ao preço", avançou.