Na Zâmbia

Dois homossexuais condenados a 15 anos de prisão

Dois homossexuais foram, esta quinta-feira, condenados a 15 anos de prisão na Zâmbia, país que tem uma legislação conservadora e repressiva contra a homossexualidade.

Dois homossexuais condenados a 15 anos de prisão
D.R.

O presidente da Zâmbia, Edgar Lungu, é um forte opositor dos direitos dos homossexuais.

 

Segundo a comunicação social local, dois homens foram detidos no distrito de Kapiri Mposhi, a Norte da capital zambiana, Lusaca, em 2017, acusados de praticarem actos sexuais.

No ano passado, os dois homens já tinham sido condenados a penas de prisão por "cometerem actos contranatura", com base no testemunho de um funcionário de um hotel que alegou tê-los visto a praticarem actos sexuais através de uma janela.

Os acusados recorreram da decisão e foram condenados, novamente, por um tribunal na localidade de Kbawe, no centro do país.

"É bárbaro isolar as pessoas que violaram uma norma social e impor-lhes uma pesada pena de prisão, enquanto os chamados criminosos políticos destroem este país e se deslocam livremente", afirmou o activista dos direitos humanos Brebner Changala, citado pela agência France-Presse.

O presidente da Zâmbia, Edgar Lungu, é um forte opositor dos direitos dos homossexuais, apesar da pressão exercida pelos países que assistem esta nação da África Austral.

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS