Indicadores sobre os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável

Metade da população vive na pobreza

Dados do Instituto Nacional de Estatísticas (INE) apontam pela existência de 48 por cento da população a viver na pobreza multidimensional, em todo o país. São cerca de 15 milhões de pessoas.

Metade da população vive na pobreza

Dos cerca de 30 milhões de habitantes que residem em Angola, 48 por cento vive na pobreza multidimensional, segundo os indicadores de linha de base sobre os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável, publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), esta semana, em Luanda. 

O índice de pobreza multidimensional (IPM) é composto por 10 indicadores agrupados em três dimensões: saúde com as taxas de mortalidade e de nutrição; educação, com anos de escolaridade e frequência escolar; condições de vida, no acesso à electricidade e à água para consumo e para o saneamento básico; combustível para cozinhar; casa com chão apropriado e posse de bens (carro, propriedade, bicicleta, mota, rádio, frigorifico, telefone e televisão). Entre estes indicadores, os pesquisadores constataram que 16 por cento da população vive privada em anos de escolaridade, 15 por cento com a frequência escolar e 11 por cento de nutrição. 

A conselheira económica do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Gallardo Glenda, destaca que Angola tem um grande “desafio de erradicar a pobreza, que se inter-relaciona com outros objectivos de desenvolvimento sustentáveis (ODS), sobretudo com o da Educação, emprego e outros”.

O economista do PNUD Lorenzo Mancini ressalva que, quando se fala de pobreza, se fala somente na questão de dinheiro, é também “importante olhar para a pobreza multidimensional”, como o ter acesso a outras condições que contribuem para o desenvolvimento. Reconheceu também que os indicadores apresentam “disparidades” regionais e provinciais, logo a pobreza multidimensional em Luanda é de 0,05 por cento, diferente das províncias do Bié e Huambo, que apresentam 0, 48 e 0,44 por cento.

Os dados foram recolhidos em 2018 e apresentados aos jornalistas, durante um ‘workshop’ sobre os Objectivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), promovido pelo INE em parceria com o PNUD e a UNICEF.