A pensar nas autárquicas de 2020

MPLA intensifica mobilização

MPLA aposta nas autarquias e apela à unidade aos militantes. Para este ‘toca a reunir’ já está marcada a realização de um congresso, que deve ser agendado para Junho

MPLA intensifica mobilização
Mário Mujetes
Congresso MPLA
Luísa Damião,

Luísa Damião, vice-presidente do MPLA

A ‘Agenda Política’ propõe estimular a Organização da Mulher Angolana e a JMPLA a consolidar o papel de “vanguarda na luta pela estabilidade das famílias”

Com as autarquias no centro das prioridades, o MPLA apresentou, no passado sábado, a sua agenda política para este ano, estando marcado para o próximo dia 9 o lançamento nas 18 províncias.

A agenda política do partido contempla nove pontos e reitera o reforço da unidade interna e a preparação do 7.º Congresso Extraordinário, que deve acontecer 60 dias depois da próxima reunião do Comité Central (CC) marcada para Março, revelou a vice-presidente do partido.

Luísa Damião apelou os militantes e dirigentes a intensificarem o trabalho de mobilização para disputar e vencer as primeiras eleições autárquicas, previstas para 2020. Por isso, recomendou que se elabore uma “estratégia integrada” tendo em atenção as estruturas intermédias e de base. A dirigente anunciou ainda que o MPLA, através do grupo parlamentar, vai acelerar a aprovação do pacote legislativo autárquico, para tal, propôs a definição do regulamento sobre a eleição interna dos candidatos a autarcas. 

“2019 é o ano da afirmação e da consolidação das grandes transformações nacionais, que devem assentar numa acção governativa rigorosa, transparente, patriótica, apostando seriamente no sector social, na diversificação da economia aumentando a produção interna de bens e serviços capazes de gerar mais emprego”, lê-se no comunicado que resumiu a reunião.

O MPLA promete melhorar condições para as organizações sociais, para que tenham maior protagonismo através de novos métodos de actuação nas comunidades. 

Luísa Damião revelou que a ‘Agenda Política’ propõe estimular a Organização da Mulher Angolana e a JMPLA a consolidar o papel de “vanguarda na luta pela estabilidade das famílias e pela educação patriótica, sobretudo da jovem mulher, na defesa dos valores cívicos, da urbanidade e da sã convivência”. 

 

Congresso extraordinário 

O MPLA, além de intensificar o trabalho de dinamização das organizações de base e aprimorar a formação política dos dirigentes, quadros e militantes, vai realizar, sob proposta do presidente do partido, um congresso extraordinário com o objectivo de adequar as suas estruturas aos novos desafios políticos. De acordo com os estatutos do partido, o Comité Central deverá consultar os órgãos intermédios a partir do próximo dia 8 em todas as províncias, para depois o órgão da cúpula convocar o Congresso, no prazo de 60 dias.