Além de teatro, vai dar formação

Etu Lene já tem sala fixa

Este ano, marca a estreia do Etu Lene, na sua sala fixa, no Rangel, em Luanda. Em troca, prevê formar alunos da escola e, mais tarde, alargar o projecto. O grupo teatral completa 26 anos e é autor do clássico ‘O Feiticeiro e o Inteligente’, exibido há 20 anos, na TPA.

Etu Lene já tem sala fixa
Beto Cassua

Beto Cassua fundador do grupo teatral Etu Lene

Hoje, os grupos estão mais dinâmicos e criativos. O nosso teatro está muito bonito, apesar de que alguns vão mais para o comercial, mas ainda assim, estamos bem.

Na véspera de completar 26 anos, o grupo teatral Etu Lene tem inspirado o surgimento de outros grupos. Em 1999, com a peça ‘O Feiticeiro e o Inteligente’, também conhecida como ‘Kamba Mbinge’, Etu Lene ganhou notoriedade graças ao programa ‘Em Cena’, da Televisão Pública de Angola (TPA).

Apesar do impacto que a peça ‘O Feiticeiro e o Inteligente’ teve, o encenador Beto Cassua, que a considera “um clássico”, lamenta nunca ter ganho nenhum prémio nacional.

Em umbundo, Etu Lene significa ‘Nós (actores) e Você (público)’. Etu Lene é autor dos clássicos ‘O feiticeiro e o inteligente’ e ‘Uiji Uijia’. Fundado na capela de S. Luís, em Luanda, a 26 de Abril de 1993, o grupo deu o remate inicial sob a égide de Beto Cassua. No entanto, apesar dos anos de existência, só no ano passado conseguiu ter uma sala fixa, na escola Jota, no Rangel, onde exibe, todos os sábados, às 20 horas, uma peça, com bilhetes a mil kwanzas, por pessoa. Em troca, o grupo compromete-se em dar formação em teatro aos alunos da escola e já sonha em alargar o projecto a outros estabelecimentos de ensino.

Apesar de ter já mais de 25 anos de teatro, os seus actores não vivem só da arte. São, ao todo, 15 membros, que representam peças do drama à comédia. Com uma capacidade para 200 pessoas, a sala, no entanto, só tem disponíveis 60 lugares. A 14 de Fevereiro, prevê estrear a peça ‘Sapo’, baseada nas histórias da personagem das redes sociais. Os bilhetes, para este dia, estão a ser comercializados a dois mil kwanzas.

 

Positivo no teatro

Satisfeito com o evoluir do teatro, está o encenador, que assegura que os grupos actualmente se encontram em linhas diferentes na montagem das peças, o que considera “positivo”. Beto Cassua recorda-se que, depois da estreia da peça ‘O Feiticeiro e o Inteligente’, há alguns anos, os grupos só queriam falar sobre feitiço. “Hoje, os grupos estão mais dinâmicos e criativos. O nosso teatro está muito bonito, apesar de que alguns vão mais para o comercial, mas, ainda assim, estamos bem.”

Na rede social You Tube, a peça conta com mais de 60 mil visualizações e, ‘ao vivo’, já fez uma tournée provincial e sempre que o grupo faz uma representação internacional é exibida.

 

Conquistas

Com a peça ‘Balumuka’, venceu o concurso ‘Prémio Cidade de Luanda/2001’. Conquistou o ‘Prémio Nacional de Cultura e Artes/2002’, com a peça ‘Uíje-Uijia’. E, em 1995, a mesma ocupou o segundo lugar do Festeatro, fase provincial de Luanda e Nacional, realizado, em Benguela. Ainda ‘Uíje-Uijia’ arrebatou o prémio revelação de teatro ‘Angola - 20 anos.

Teve ainda uma participação, em 200, no 20.º Festival Internacional de Teatro de Almada, Portugal, dedicado a ‘Angola em Paz’.

 

Outros artigos do autor