Crise política

Presidente do Quirguistão demite-se

O presidente do Quirguistão, Sooronbai Jeenbekov, anunciou hoje a sua demissão, após 10 dias de tensão e manifestações marcadas por violência, na sequência de controversas eleições legislativas.

Presidente do Quirguistão demite-se
D.R
Sooronbai Jeenbekov, antigo presidente do Quirguistão

O Quirguistão, a mais pluralista, mas também a mais instável das ex-repúblicas da Ásia Central, foi palco de duas revoluções e três dos seus presidentes foram detidos ou exilados desde a independência.

Eu não me agarro ao poder, não quero entrar na história do Quirguistão como o presidente que fez derramar sangue disparando contra os seus concidadãos. Foi por isso que decidi demitir-me", disse Jeenbekov, segundo um comunicado divulgado pela Presidência.

De acordo com o mesmo texto, o chefe de Estado disse que "a paz no Quirguistão, a unidade do povo e a calma na sociedade estão acima de tudo o resto".

A crise política no Quirguistão começou após as eleições legislativas de 4 de Outubro, marcadas por acusações de fraude e que deram a vitória a dois partidos pró-presidenciais.

Seguiram-se vários dias de caos e de violentas manifestações que causaram uma morte e mais de um milhar de feridos.

O Quirguistão, a mais pluralista, mas também a mais instável das ex-repúblicas da Ásia Central, foi palco de duas revoluções e três dos seus presidentes foram detidos ou exilados desde a independência.

O ex-presidente Almazbek Atambaiev, grande rival do actual chefe de Estado, cumpre uma pena de 11 anos de prisão por ter libertado um chefe mafioso. No início da crise foi brevemente libertado por apoiantes.

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS