No Kuando-Kubango

Faltam de mais de mil professores do ensino geral

O Kuando-Kubango necessita de 1.500 professores para as 30 mil crianças no ensino primário e secundário, avançou o director do gabinete provincial, Miguel Canhime ‘Kazavube’.

 Faltam de mais de mil professores do ensino geral
D.R

Actualmente,  a província tem 5.964 professores no ensino primário, I e II ciclos do ensino secundário e 105 técnicos administrativos.

No concurso público de 2019, foram admitidos para o Kuando-Kubango 489 professores para os nove municípios.

O Kuando-Kubango conta com 274 escolas, que correspondem a 1.739 salas de aulas que, para o responsável, é uma quantidade "insignificante" face as mais de 30 mil crianças fora do sistema de ensino, entre as quais aquelas em condições inadequadas.

Segundo Miguel Canhime ‘Kazavube’, a redução contínua de crianças fora do sistema passa, necessariamente, pelo aumento de docentes para atender, principalmente, os municípios mais distantes.

A direcção, conta, tem promovido seminários pedagógicos e outras formações no âmbito do Projecto de Aprendizagem Para Todos (PAT).

Como principais dificuldades, consta a falta de equipamentos como laboratórios para ciências exactas, infra-estruturas desportivas para a massificação de diversas modalidades nas escolas, carteiras e material para alunos deficientes visuais e auditivos.

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS