Rumo aos Emirados Árabes Unidos

Juan Carlos deixou Espanha há um mês

O rei emérito Juan Carlos I deixou Espanha rumo aos Emirados Árabes Unidos há um mês para apaziguar a polémica gerada pelos seus alegados negócios ocultos no estrangeiro, sem até hoje transparecer nada sobre a sua vida naquele país.

Juan Carlos deixou Espanha há um mês
D.R
Juan Carlos I, rei emérito

A imprensa espanhola e mundial divulgou que lugares como Portugal, República Dominicana ou Nova Zelândia poderiam ser prováveis destinos de Juan Carlos.

Tendo sido esclarecido o seu paradeiro, o ex-chefe de Estado não esclareceu outras dúvidas, como por exemplo quanto tempo vai durar a sua estada no estrangeiro e quais são os custos do seu alojamento.

Da sua estada no país árabe, nada transpareceu, apenas uma fotografia de quando, supostamente, desembarcou em Abu Dhabi, um dos emirados que compõem o país, no avião particular que o transportou de Vigo (Espanha).

Algumas publicações dizem que Juan Carlos está hospedado no hotel Emirates Palace, complexo luxuoso onde já havia permanecido em outras ocasiões em que visitou aquele país.

Ao partir, Dom Juan Carlos disse a alguns amigos que se tratava de um 'parêntesis', sem especificar se poderia mudar de destino ou se pensava voltar à Espanha em algum momento.

Um mês após sua saída, o debate político sobre a figura do rei emérito diminuiu de intensidade, embora permaneça um elemento de discrepância entre os partidos espanhóis.

Várias formações nacionalistas e independentistas continuaram a exigir explicações da Casa Real sobre o que consideram uma "fuga" do pai do rei Felipe VI antes do inquérito aberto pelo Ministério Público do Supremo Tribunal Federal.

Uma das consequências da polémica gerada em torno da figura de Juan Carlos I é que vários municípios promoveram iniciativas para retirar símbolos honoríficos ou nomes de ruas dedicados ao ex-chefe de Estado.

O Procuradoria do Supremo Tribunal espanhol está a investigar a origem de 65 milhões de euros depositados na Suíça em nome da fundação Lucum, com sede no Panamá, para determinar se se tratava de comissões dadas pela Arábia Saudita a Juan Carlos ligadas a um negócio.

Esse dinheiro foi depois transferido para uma conta nas Bahamas, em nome de uma amiga do rei, Corinna Larsen.

Outros artigos do autor