Para 2018-2022

Governo prepara agenda empresarial e de inovação

O Governo pretende que, nos próximos cinco anos, a agenda empresarial e de inovação funcione com a definição dos projectos considerados prioritários, com a participação das universidades. Por isso, promoveu um encontro em que cada representante expôs o desafio da área de trabalho, da saúde às pescas e mar, passando pela indústria, energia e águas, agricultura e florestas, ambiente, bem como tecnologias de informação e comunicação.

Governo prepara agenda empresarial e de inovação
Santos Samuesseca
As recomendações do encontro serão reunidas num portefólio

O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (MESCTI) realizou, na semana passada, em Luanda, uma reunião para definir a prioridade nacional em termos de investigação científica e inovação tecnológica para 2018 – 2022, com o foco na agricultura e florestas, pescas e mar, saúde, ambiente, energia e águas, indústria, tecnologias de informação e comunicação. Decorrido em Luanda, a 13 de Setembro, o evento permitiu que representante de cada uma das áreas acima referidas expusesse os desafios do sistema em que está inserido, com vista a identificar e recolher propostas de temas da respectiva área e, deste modo, contribuir para a elaboração do respectivo plano de projectos prioritários.

A líder do MESCTI, que procedeu à abertura do encontro, reconheceu que, na oferta de conhecimento de universidades e instituições de desenvolvimento tecnológico e inovação, além da “falta de conhecimento”, há uma “fraca orientação para as necessidades do sector produtivo”, assim como “baixa efectividade de transferência de tecnologia” e “baixa cultura de colaboração entre agentes”. Maria do Rosário Sambo lembrou que “não haverá futuro para a indústria angolana fora da inovação”, pelo que as lideranças empresariais devem perceber que a “quarta revolução industrial, que está em curso no mundo todo, ameaça a frágil competitividade da economia nacional”.

As conclusões e recomendações do encontro da passada quinta-feira deverão ser reunidas num portfólio que, por sua vez, dará lugar a projectos de investigação científica, desenvolvimento tecnológico e inovação a serem aplicados nos próximos cinco anos.

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS