Grupos ficaram em 83.º lugar

Equipas angolanas fora do concurso mundial de programação

As três equipas angolanas apuradas para o campeonato Africano e Árabe Universitário de Programação ficaram em 83.º lugar, ao resolverem apenas dois dos 12 exercícios recomendados e ficam de fora do mundial da Rússia 2020, mas receberam o prémio campeões do ‘West da Africa’.

Equipas angolanas fora do concurso mundial de programação
D.R
Angolanos resolveram apenas 2 dos 12 exercícios recomendados

De acordo como o director do Concurso Angolano Universitário de Programação (AoCPC), Valeriano Marcolino, Angola fez-se representada pelas equipas ‘The Winners’ do Isutic, o ‘Isptec’  e a ‘Taskforce’, igualmente do Isustic.

Na competição, são apresentados 12 problemas para as equipa, todos eles em inglês, numa plataforma com tempo cronometrado. São problemas Matemáticos resolvidos com quatro linguagens de programação, nomeadamente C, C++, java e Pyton.

As equipas angolanas venceram o regional em Setembro, que lhes habilitou ao concurso ‘Africa and Arab Collegiate Programming Championship (ACPC)’, que se realizou este fim-de-semana no Egipto, com mais de 100 Universidades de África e os apurados vão em Junho de 2020 no Mundial da Rússia.

Angola participa nas competições regionais há quatro anos, isto é desde 2016, e só agora conseguiu qualificação para o concurso africano criado em 1979.

Para concorrer, as universidades inscrevem as suas equipas em simultâneo com os concorrentes dos outros países. A hora e data marcada elas são submetidas a um teste on line, aonde o júri (online) vai controlando a resolução dos exercícios e findo o prazo de cinco horas em tempo real se informa as equipas e os países vencedores.

Ao contrário dos concursos regionais, onde os concorrentes ficam nos seus países, o africano e o mundial são presenciais.    

 

RECOMENDAMOS

POPULARES

ÚLTIMAS