AstraZeneca/Oxford

Brasil vai produzir vacina

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição científica de referência no Brasil, anunciou o início da produção em larga escala da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford.

Brasil vai produzir vacina
D.R
Vacina da AstraZeneca

A primeira linha em funcionamento hoje está a produzir cerca de 300 mil doses por dia.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição científica de referência no Brasil, anunciou o início da produção em larga escala da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford.

Em comunicado, a empresa indicou que serão entregues 3,8 milhões de doses até ao final do mês e 30 milhões em Abril.
"A primeira linha em funcionamento hoje está a produzir cerca de 300 mil doses por dia. Ainda esta semana, caso a produção ocorra dentro do previsto, uma segunda linha de produção deverá entrar em operação para aumentar a capacidade produtiva. A expectativa é chegar até ao final de Março com as duas linhas em funcionamento, com uma produção de cerca de um milhão de doses por dia", explicou a Fundação.

A Fiocruz informou ainda que uma falha num dos equipamentos de envasilhamento interrompeu a produção dos lotes de validação, etapa necessária para garantir o controlo de qualidade e eficácia do imunizante, e que acabou por atrasar o cronograma de entregas para Março.

A instituição científica mantém-se activa na busca por alternativas para o fornecimento de vacinas ao Programa Nacional de Imunização (PNI). Até ao momento, já foram fornecidas quatro milhões de doses produzidas pelo Instituto Serum (Índia) e preparadas para distribuição pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos, das 12 milhões de doses já acordadas com a AstraZeneca".
Além disso, a Fiocruz irá também apoiar tecnicamente a recepção das vacinas da Covax Facility, "o que poderá representar cerca de 2,9 milhões de doses de vacinas prontas ainda em Março".